Não deixe de conferir   /

Cinta após o parto: é recomendado ou não? Pode atrapalhar a recuperação da barriga?

Facebook Twitter Google + Pinterest Linkedin Reddit
Cinta após o parto: é recomendado ou não? Pode atrapalhar a recuperação da barriga?

Cinta após o parto – O uso da cinta após o parto é ainda tema de muitas discussões entre médicos e especialistas que cuidam da saúde feminina. O acessório, que já foi item quase obrigatório para mulheres que passaram por cesáreas, vem sendo alvo de críticas sobre as vantagens reais que oferece ao corpo e bem-estar das mães. Afinal, a cinta é ou não recomendada no pós-parto?

Cinta pós-parto funciona?

Muitas mulheres associam o uso da cinta pós-parto a uma questão estética, como se fosse uma solução para se livrarem do corpo de gestante, porém esta ideia é um grande erro, de acordo com a ginecologista e obstetra Elizabeth Nasser, membro da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo.

“A cinta não tem como objetivo recuperar a forma da mulher. Ela tem como finalidade ajudar a dar firmeza para a mulher após o parto, dando segurança aos movimentos. Isso porque, no final da gestação, ocorre uma distensão muito grande da musculatura dos retos abdominais e, depois do parto, há certa flacidez e até uma dificuldade do corpo para voltar ao normal”, explica a médica.

De acordo com a especialista, a cinta funciona justamente para dar maior conforto e liberdade de movimentos às mulheres. Desta maneira, o acessório pode ser um grande aliado para manter a postura no pós-parto, amenizando a sensação de vazio no abdômen da mulher e apenas melhorando o aspecto externo do corpo. “Não há motivos para não usar e a maioria usa e gosta”, acrescenta.

cinta modeladora detalhe 052017 400x800
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest

Quando e quem pode usar

Segundo Elizabeth, a cinta é recomendada tanto após um parto normal quanto um parto cesárea. Em ambos os casos, o uso não é obrigatório, mas apenas sugerido. A única ressalva, de acordo com a médica, é esperar que os movimentos de peristaltismo voltem ao normal antes de colocar a peça.

“Quando a paciente está com o abdômen muito distendido, com muitos gases, é recomendado que ela se movimente um pouco para eliminar esses gases. Só então ela pode colocar a cinta, senão fica muito desconfortável no abdômen”, esclarece.

Em geral, mulheres que tiveram parto normal podem usar a cinta diretamente após o procedimento. Já no caso da cesárea, é possível esperar até o dia seguinte, quando é retirado o curativo e colocada uma proteção, para se colocar a cinta.

Quanto ao tempo de uso, a médica diz que a mulher pode usar quanto achar necessário e desde que se sinta confortável. “O corpo vai dizer, mas geralmente o uso pode durar cerca de 40 dias, que é o tempo necessário para o útero vai voltar ao normal”.

cintas pos parto 0717 400x800
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest

Cinta pós-parto: usar ou não usar?

Enquanto muitos especialistas ainda defendem o uso da cinta, outros divergem sobre os benefícios do acessório. Alguns profissionais defendem que o uso constante da cinta, na verdade, dificulta o retorno muscular da puérpera e até prejudica o fluxo sanguíneo – o que atrapalha a recuperação do corpo.

“Antigamente, acreditava-se que a cinta poderia auxiliar no retorno do abdômen e na reabilitação da mãe, porém, hoje se sabe que a cinta atrapalha a recuperação dos músculos abdominais por conta da sua compressão excessiva durante todos os movimentos”, aponta a fisioterapeuta Julianna Bambicini, especialista em obstetrícia.

De acordo com ela, os músculos abdominais param de trabalhar enquanto a mulher usa uma cinta compressora. No longo prazo, esses músculos podem ficar ainda mais fracos e flácidos, o que pode acarretar em alterações posturais, dores lombares e desconfortos ocasionados pela fraqueza abdominal, atrapalhando ainda mais na recuperação da barriga no pós-parto.

barriga com diastase 0517 400x800
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest

Para a fisioterapeuta, a cinta somente tem função estética, para deixar a silhueta da mulher mais enxuta em um vestido ou roupa justa. “Hoje se sabe que ela traz mais malefícios em longo prazo, podendo ser facilmente substituída por uma calcinha de cintura alta e de leve compressão abdominal que irá promover conforto, sem riscos de aumentar a fraqueza muscular abdominal e complicações no seu uso prolongado”, conclui.

Na dúvida, é recomendado que a mulher sempre peça a orientação de um médico ou especialista sobre a necessidade da cinta no pós-parto. Caso decida usar o acessório, é preciso saber que a cinta nunca deve ficar apertada ou causar algum tipo de dor. Afinal, ela deve ser uma aliada do bem-estar no puerpério.

 

 

-vix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This