Não deixe de conferir   /

Sapinho em bebês : entenda o que é, como evitar e conheça o tratamento

Facebook Twitter Google + Pinterest Linkedin Reddit
Sapinho em bebês : entenda o que é, como evitar e conheça o tratamento

Sapinho em bebês – Comum em bebês, a infecção raramente evolui para uma condição mais grave e pode ser prevenida com medidas simples de higiene. Confira

Monolíase. Esse é o nome científico da doença popularmente conhecida como “sapinho”, que costuma ser bem comum entre os bebês. Causada pelo fungo Candida albicans, essa infecção se manifesta normalmente na mucosa bucal, mas também pode ocorrer na região genital, já que o agente causador tem preferência por ambientes úmidos.

“Esse fungo faz parte da flora biológica. Várias pessoas têm ou estão em contato com alguém que tenha. Quando a imunidade está boa, ele não se manifesta. No entanto, se ela diminui em alguma região, a pele fica mais frágil e suscetível à infecção”, explica o pediatra Felipe Lora, do Hospital Infantil Sabará. Ele ressalta que essa baixa de imunidade não é, necessariamente, sistêmica. Pode ser apenas uma queda naquele local específico do organismo.

Quando a doença se manifesta na boca, manchas esbranquiçadas na mucosa são os principais sinais e podem causar um desconforto imenso aos bebês. Por isso, é preciso ficar atento para que o problema não afete a alimentação, provocando perda de peso. Já quando a infecção afeta a região genital, a pele fica vermelha e descamando, o que também provoca incômodo.

FIQUE ATENTO
Os recém-nascidos são mais afetados porque mamam no peito da mãe, que está sempre em contato com outras pessoas. Com o passar do tempo, a chance de a infeccção se instalar diminui já que a amamentação chega ao fim e a criança deixa de usar fraldas, que aumentam a umidade na região genital. Algumas pomadas para assaduras, que possuem corticoides em sua composição, podem deixar a região um pouco mais vulnerável ao fungo. Para resolver isso, existem opções no mercado que já incluem o antifúngico em sua fórmula – mas antes de usar qualquer produto, vale lembra que é necessário ter o aval do pediatra.

Os pais de crianças asmáticas também precisam prestar muita atenção. “Como o tratamento é feito com inalação de corticoides e essa substância diminui a imunidade da região,  é necessário lavar a boca depois do procedimento”, lembra o doutor. Assim, você evita que a mucosa bucal fique vulnerável.

Apesar da manifestação do fungo depender especialmente de uma baixa da imunidade, algumas ações simples podem ajudar a prevenir o problema. Higienizar bem bicos de mamadeiras e chupetas, locais em que o fungo pode se proliferar, ajuda a diminuir as chances de o sapinho se instalar. Pelo mesmo motivo, é importante  higienizar bem o seio entre as mamadas, usando um pouco do próprio leite materno. Para prevenir o problema na área genital, troque a fralda do bebê com frequência, evitando que a área fique úmida e fique atento às assaduras.

COMO TRATAR
Pomadas e soluções orais antifúngicas são as soluções mais usadas para contornar o problema. Quando é um caso sistêmico, e não apenas queda de imunidade local, também é preciso entrar com medicação via oral. Em torno de uma semana, o quadro costuma apresentar  grande melhora. Ainda assim, é preciso encarar o problema de uma perspectiva mais ampla. “Não prescrevo qualquer tratamento sem dar orientação de prevenção para que a infecção não volte a aparecer”, declarou o médico, deixando claro a importância das ações preventivas, como não deixar os bebês com a fralda úmida e

Normalmente, os casos de sapinho não apresentam complicações. no entanto, se a situação não melhorar dentro de alguns dias ou se mostrar recorrente, é preciso consultar o pediatra para investigar qual pode ser a causa. “Se o paciente tiver algo mais grave, o fungo pode invadir esôfago, entrar na corrente sanguínea e causar infecção generalizada”, alerta o especialista.

 

-crescer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This